beforeContent_c1:

Vozes de Mercado

Artigos de opinião sobre economia e investimentos, por diversos autores

Startups são agentes de transformação e marco para investimentos

starup imagem destaque piqsels

Com a queda da taxa de juros a níveis históricos, o grande canalizador dos investimentos do país. que sempre foi a Renda Fixa, foi colocado em xeque.

Com a consequente queda da remuneração dos investimentos lastreados no DI, os investidores têm buscado novas alternativas de investimentos e para tal têm procurado com mais empenho a Bolsa de Valores, que triplicou seu número de investidores pessoas físicas entre 2018 e 2020.

Mas, mesmo com toda essa procura, a Bolsa tem sofrido com sua volatilidade devido às incertezas políticas, impactos da Covid-19, variação cambial e o apetite do capital externo em relação ao Risco País.

É no meio desse complexo arcabouço que o investimento em Startups surge como alternativa viável, pois tem tickets acessíveis e grandes potenciais de ganhos acima dos benchmarks tradicionais.

Como todo investimento, a curva de risco-retorno é bem clara: investimentos em startups possuem altíssimos riscos, porém também apresentam alguns outros pontos que podem ser bem interessantes ao investidor além dos altos potenciais de retorno como:

Aprendizado — muito se pode aprender com esse tipo de investimento como experimentação, aprender com erros, custo de aquisição de clientes, testar rápido e mudar se preciso, novas metodologias como o Agile, Kanban. Cito três:

Novos Segmentos — é possível conhecer de perto empresas que atuam nos mais diversos segmentos que antes seriam impossíveis de se ter um fácil acesso, como RH, Varejo, Educação, Energia, Saúde, Marketing e até novas tecnologias como Inteligência Artificial, Internet das Coisas, entre outras;

Proximidade do C-Level — ao contrário de empresas tradicionais, o acesso ao nível diretor dessas startups é bem facilitado, dessa forma as trocas com os executivos da empresa são bastante ricas, o que acaba beneficiando tanto o empreendedor quanto os investidores;

Networking — cada vez mais surgem grupos de investidores em startups que buscam aprendizado e evolução em seus investimentos, o que abre inúmeras portas àqueles em busca de criar networking para futuras parcerias;

Para ser considerada uma startup, a empresa deve possuir 3 características principais: buscar solução para um problema existente, possuir uma base tecnológica e ser escalável. Geralmente, são empresas com propósitos e valores bem definidos, formados por empreendedores que dão o sangue para resolver problemas que encontram no mundo. É justamente esse o ponto mais interessante de se investir em startups: você começa a ser parte essencial para a transformação!

As startups vieram para inovar como as coisas são feitas, vieram para resolver problemas, superar as dores que existem no processo, vieram para colocar o cliente no centro, buscando sempre ter uma abordagem client centric. Elas dão muito valor para as características como empatia e focam bastante na jornada do cliente, o que chamamos de UX (user experience) e CX (customer experience). Nunca o cliente foi tão estudado para se buscar seu encantamento.

Em resumo, o investidor de startups é parte essencial nesse ecossistema. Sem ele, essas mudanças não ocorreriam, não haveria a criação de produtos e serviços nessa velocidade. Sem ele, não haveria todo esse fomento à inovação e, consequentemente, à geração de novas atividades econômicas nesse ritmo.

Portanto, faço esse convite: sejam agentes ativos nessa transformação! Venham aprender mais sobre essa nova categoria de investimentos e venham fazer parte dessa nova família de investidores que querem mudar o mundo!

 

Semi Kim é especialista em investimentos anjo, innovation and partnership at Voiter.

 

*Imagem em destaque: Piqsels.com 

afterContent:
comments:
Widget: 62: