Global Canopy: Novas Ferramentas Fornecem Significativas Oportunidades para Bancos da América Latina "Garantirem Segurança Alimentar Regional" Através do Melhor Gerenciamento de Riscos em Commodities Leves

  • Global Canopy acrescenta novas ferramentas e orientações à Plataforma de Riscos em Commodities Leves (SCRIPT), produzida em parceria com a WWF, para ajudar bancos regionais a gerenciar melhor riscos de sustentabilidade para commodities como azeite de dendê, soja, pecuária e frutos do mar.
  • Progresso na pecuária e soja: Um quarto dos 24 bancos latino-americanos avaliados agora têm uma política específica para administrar empréstimos a empresas no setor da pecuária, e dois têm políticas específicas de empréstimos aplicáveis às empresas no setor de soja.
  • Oportunidade SDG: A produção de commodities leves como azeite de dendê, soja e madeira contribuem em até 20% das emissões de carbono associadas à perda de florestas a nível mundial. Bancos da América Latina são instados a adotar políticas para garantir a produção sustentável de commodities leves e captar oportunidades de alinhar seus portfólios com as Metas de Desenvolvimento Sustentável.
  • Alteração necessária de política marinha: As políticas de bancos regionais associadas com empresas de soja e pecuária atualmente estão concentradas em satisfazer os requisitos legais como conformidade com o Código Florestal Brasileiro. Entretanto, apenas um banco encorajou as empresas a garantir o Consentimento Livre, Prévio e Informado.

LONDRES--(BUSINESS WIRE)--Nova pesquisa da Global Canopy, desenvolvida em parceria com a WWF, descobriu que bancos operando no Brasil e Paraguai podem se beneficiar da melhoria de políticas a fim de gerenciar impactos ambientais e sociais negativos de commodities leves como carne, soja, azeite de dendê e produção de madeira.

A produção de commodities leves é um dos principais fatores de desflorestamento tropical e contribui com uma parcela significativa de 15 a 20% de emissões de carbono associadas à perda de florestas em todo o mundo. Se os bancos implementarem salvaguardas a fim de garantir a produção sustentável de commodities leves, podem captar a oportunidade de alinhar seus portfólios com as Metas de Desenvolvimento Sustentável e transição para uma economia de baixa emissão de carbono.

Pesquisa lançada hoje descobriu que 9 de 14 bancos brasileiros (64%) declararam explicitamente que seus clientes precisam operar legalmente. Entretanto, há também espaço para o aperfeiçoamento, já que apenas um banco encorajou as empresas a assegurar o Consentimento Livre, Prévio e Informado, sendo que nenhum exige que as empresas atendam aos principais padrões trabalhistas.

O pacote de ferramentas atual acrescentado ao SCRIPT (a Plataforma de Risco de Commodities Leves) da Global Canopy, para ajudar os bancos e investidores a analisar sua exposição a riscos em cadeias de abastecimento de commodities leves incluem:

  • Uma Ferramenta de Comparação de Políticas atualizada para auxiliar bancos a avaliar o esforço de suas políticas de desflorestamento e frutos do mar contra 60 pares a nível mundial e regional.
  • Orientação de materialidade para demonstrar os riscos comerciais frente às empresas operando de modo insustentável em cadeias de abastecimento de frutos do mar.
  • Orientação corporativa e um documento informativo a fim de definir expectativas para os conselhos de empresas operando em cadeias de abastecimento de frutos do mar. As expectativas são pretendidas para fomentar o engajamento financeiro mais eficiente de instituição para empresa em torno dos impactos ambientais e sociais associados com a aquicultura e pesca.

Suporte financeiro para o projeto veio da Gordon and Betty Moore Foundation.

Tom Bregman, Associado Sênior de Finanças Sustentáveis na Global Canopy, disse:

"O setor bancário na América Latina tem uma oportunidade histórica de garantir a segurança alimentar regional e colher os benefícios de vários trilhões de dólares através de seus portfólios de empréstimos e investimentos. Mas primeiro há uma necessidade real de colocar em prática políticas que avaliem de modo adequado os riscos ambientais e sociais daqueles que financiam. A cada ano, mais de nove milhões de hectares de florestas tropicais são liberadas para abrir caminho à produção de commodities leves como azeite de dendê, soja, pecuária e madeira. E mais de 30% da pesca mundial ultrapassaram seus limites biológicos."

Raj Kundra, Vice-Presidente de Finanças Internacionais no Fundo Mundial para a Vida Selvagem:

"Enquanto houver sinais de encorajamento de que bancos regionais estejam começando a atuar em áreas como direitos trabalhistas ou azeite de dendê, há ainda um longo caminho a seguir. A maioria dos bancos avaliados não têm políticas adequadas de commodities leves e frutos do mar para aproveitar a oportunidade de financiar a segurança alimentar do futuro. Esta é a razão porque as ferramentas e orientações do presente são tão importantes. Elas ajudam a fornecer uma plataforma que interliga a lacuna de capacidade, permitindo que bancos desenvolvam políticas significativas, as quais ajudem a gerenciar riscos e oportunidades da cadeia de abastecimento."

Para mais informação, acesse www.script.finance

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.


Contacts

Global Canopyvffff
Mike Weber, ESG Communications
+44-(0)7932-577-755
mike@esgcomms.com

sidebar: