ENERGIAS DO BRASIL:Cia arremata Celg-T,por R$ 1,977 BI, ágio/80,1%(amplia)

Invista agora, com o Monitor Investimentos. Clique aqui e saiba mais!


Atualiza primeiro parágrafo e acrescenta informações a partir do terceiro
parágrafo.

São Paulo, 14 de outubro de 2021 - A Pequena Central Hidrelétrica, da EDP
Energias do Brasil, arrematou 100% das ações da Celg-T, transmissora
controlada pela CelPar, do estado de Goiás, com proposta, de R$ 1,977 bilhão,
que representa ágio de 80,10% ante o preço mínimo de R$ 1,1 bilhão
estabelecido no edital. A empresa foi representada pela corretora Genial
Institucional.

O leilão também recebeu propostas da Cymi Construções e Participações,
representada pela RJI, que fez oferta de R$1,6 bilhão, com ágio de 45,76%, da
Mez Transmissora de Energia Elétrica, representada pela Ativa, de R$ 1,535
bilhão (ágio 39,84%) e CTeep, representada pela CM Capital Markets, deu lance
de R$ 1,504 bilhão (ágio de 37,01%).

"A Celg Distribuidora R$1,2 bilhão, e o estado assumiu em passivos e
empréstimos de R$ 7 bilhões. Hoje vendemos a Celg Transmissão por R$ 1,977
bilhão. Tenho compliance em todos os órgãos do governo e as pessoas sabem que
o que pagam em imposto é corretamente aplicado. Os empresários são bem
vindos ao estado de Goiás", disse Ronaldo Caiado, governado do estado de
Goiás, em discurso após o leilão, na sede da B3, em São Paulo (SP).

A Celg T está sediada em Goiânia (GO) e detém a concessão de mais de 755
quilômetros (km) de extensão de linhas de transmissão (a maior parte em
Goiás) e 12 subestações próprias, que representam uma receita anual
permitida (RAP) de aproximadamente R$ 216,4 milhões.

O leilão foi realizado por meio de lote único, com critério de julgamento
a seleção da proposta de maior valor. A transferência do controle acionário
da empresa depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa
Econômica (Cade) e da anuência da Agência Nacional de Energia Elétrica
(Aneel).

Inicialmente agendado para maio, o certame acabou sendo postergado para o
segundo semestre devido a modificações de cronograma e de escopo da
privatização. Houve uma reestruturação societária responsável por segregar
os ativos de transmissão (Celg T) dos ativos de geração (Celg G), de modo a
atender a solicitações de investidores. Após a cisão, a Celg T ficou com
patrimônio líquido de R$ 1,052 bilhão.

Cynara Escobar / Agência CMA

Copyright 2021 - Grupo CMA

Widget: 15:

Receba nosso boletim