IBOVESPA: Bolsa deve abrir em queda reagindo ao IPCA-15 pior que o esperado

Invista agora, com o Monitor Investimentos. Clique aqui e saiba mais!


São Paulo, 26 de outubro de 2021 - Com uma agenda cheia de indicadores por
aqui, o Ibovespa futuro sinaliza queda em um movimento contrário ao exterior-
que reage de forma positiva aos balanços robustos do terceiro trimestre- e com
os investidores repercutindo o Indice de Preços ao Consumidor-15 (IPCA-15)
referente a outubro-prévia da inflação, pior que o esperado, e à espera do
resultado de empregos formais da economia (Caged), que serão divulgados pelo
Ministério do Trabalho.

Os dados econômicos de inflação vêm antes da decisão do Comitê de
Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC)-reunião que se inicia hoje.
O mercado financeiro também aguarda pela votação da Proposta de Emenda à
Constituição (PEC) dos precatórios-que muda o cálculo do teto de gastos e
abre espaço de R$ 83,6 bilhões para despesas do governo no orçamento de 2022
e garante o benefício de R$ 400 às famílias mais carentes. O temor é de que
elevem o valor e inclua gastos adicionais.

Às 9h49 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro com vencimento em
dezembro caía 1,25% aos 108.250 pontos. Os futuros norte-americanos e as bolsas
europeias subiam. Na Ásia, os índices fecharam mistos.

O IPCA-15 subiu 1,20% em outubro em comparação com setembro, a maior taxa
para o mês desde 1995. O mercado estimava alta de 0,98%. Os dados foram
divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Rodrigo Friedrich, sócio da Renova Invest, comentou que "apesar de o
mercado esperar uma inflação alta e devendo ser corrigida pela taxa de juros,
o resultado IPCA-15 foi ruim e deve impactar negativamente na Bolsa".

O sócio da Renova Invest destacou que o mercado deve olhar com atenção
para o Caged e ficar atento ao Copom. Friedrich acredita que a taxa de juros
básica do País (Selic) deva subir 1,5 ponto porcentual (pp) na decisão de
amanhã(27) do colegiado. O consenso do mercado varia entre 1,25 pp e 1,50pp.
"Não acredito que seja menos".

Friedrich também comentou que as ações da Petrobras devam ter bom
desempenho novamente na sessão de hoje, apesar de ontem ter subido mais de 6%"
com o aumento dos preços da gasolina e diesel, alta do petróleo e a possível
privatização da estatal".

Para o analista Pedro Galdi, da Mirae Asset, apesar dos ruídos em Brasília
e as revisões mais negativas para a economia brasileira neste ano e para 2022,
"a expectativa é de mais um dia de recuperação par o Ibovespa com o
exterior positivo".

Soraia Budaibes / Agência CMA

Copyright 2021 - Grupo CMA

Widget: 15:

Receba nosso boletim