IBOVESPA: Futuro opera em alta c/mercado de olho no Copom e PEC/precatórios

Invista agora, com o Monitor Investimentos. Clique aqui e saiba mais!


São Paulo, 27 de outubro de 2021 - Após a forte queda da Bolsa na véspera
puxada pela inflação preliminar à oficial do País apontando alta-de 1,20%
em outubro ante setembro- e preocupando o mercado, o Ibovespa futuro opera em
alta com atenções dos investidores votadas para a decisão do Comitê de
Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) sobre a taxa básica de juros
(Selic).

Com o cenário mais preocupante da inflação, os investidores apostam em
uma atitude mais agressiva por parte da autoridade monetária com elevação.

Outro ponto de atenção do mercado é a Proposta de Emenda à
Constituição (PEC) dos precatórios prevista para ser votada hoje no plenário
da Câmara, segundo o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), mas ainda
enfrenta contrariedade por parte da oposição. Os ruídos permanecem em
relação ao fiscal.

Os investidores ficam com foco nos balanços corporativos por aqui e no
exterior, que devem trazer mais ânimo ao mercado.

Às 9h50 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro com vencimento em
dezembro operava em alta de 0,29%, aos 107.625 pontos. Os futuros
norte-americanos tinham ganho. As bolsas europeias caíam e os índices
asiáticos fecharam em queda.

Ubirajara Silva, gestor da Galapagos Capital, disse que espera que a
decisão do Copom sobre a taxa de juros e a votação da PEC dos precatórios
possam trazer "uma redução da volatilidade da curva de juros e
consequentemente um alívio para a Bolsa, porque enquanto houver elevação na
curva de juros, a atratividade dos investidores pelo Ibovespa fica limitada" .

O gestor da Galapagos Capital afirmou que as apostas do mercado para a
decisão da taxa de juros estão bem agressivas-desde 1,25 pp até 3 pp. "Faz
tempo que não temos um Copom com tantas apostas diferentes e a sinalização de
hoje será importante para ver se o BC vai se mostrar mais duro para tentar
diminuir a curva de juros futuros e favorecer a Bolsa".

Silva enfatizou a importância de acompanhar a PEC dos precatórios porque
ontem circularam notícias no mercado de que o Congresso quer aumentar o Fundo
eleitoral e as emendas parlamentares. "Parece que o estouro do teto não
ficará só nos R$ 30 bilhões para o Auxílio Brasil
de diesel para os caminhoneiros, aumento do fundo eleitoral e emendas
parlamentares. É importante acompanhar para ver se diminuir a preocupação com
o fiscal, alivia a Bolsa".

Em relação aos balanços, Silva apontou que o resultado do Santander foi
positivo- lucro líquido cresceu 12,1% no terceiro trimestre para R$ 4,27
bilhões. "Devemos acompanhar o movimento do papel na sessão de hoje para ver
se o mercado vai olhar o fundamento ou se o fiscal será a grande
preocupação".

Os analistas da Ajax Capital apostam em uma abertura negativa para a Bolsa
com os investidores "aguardando a votação dos precatórios e a reunião do
Copom.

Soraia Budaibes / Agência CMA

Copyright 2021 - Grupo CMA

Widget: 15:

Receba nosso boletim