IBGE: Preços ao produtor sobem 0,40% em setembro ante agosto (amplia)

Invista agora, com o Monitor Investimentos. Clique aqui e saiba mais!


Acrescenta mais detalhes a respeito do indicador a partir do segundo
parágrafo.

São Paulo, 27 de outubro de 2021 - O índice de preços ao produtor subiu
0,40% em setembro ante agosto, quando registrou alta mensal de 1,89%, segundo
dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na
comparação com setembro do ano passado, o índice desacelerou o ritmo de alta
para 30,59% em setembro, de 33,12% em agosto. No acumulado do ano, os preços ao
produtor registram avanço de 24,08%.

Entre as grandes categorias econômicas, a alta de 0,40% nos preços ao
produtor em setembro ante agosto refletiu ganho de 1,30% em bens de capital,
queda de 0,27% em bens intermediários e alta de 1,37% em bens de consumo, sendo
que 0,73% foi a variação observada em bens de consumo duráveis e 1,49% em
bens de consumo semiduráveis e não duráveis.

O segmento de bens de capital contribuiu com 0,09 ponto porcentual (pp) para
a alta nos preços ao produtor em setembro, enquanto o de bens intermediários
reduziu em 0,16 pp a variação. Os bens de consumo elevaram a taxa em 0,47 pp -
sendo 0,04 pp por variações de preços observadas nos bens de consumo
duráveis e 0,43 pp nos bens de consumo semiduráveis e não duráveis.

Na perspectiva do acumulado no ano, as variações de preços da indústria
acumularam, até setembro, variação de 24,08%, sendo 15,51% a variação de
bens de capital (com influência de 1,13 pp), 30,08% de bens intermediários
(16,76 pp) e 16,73% de bens de consumo (6,19 pp). No último caso, este
resultado foi influenciado em 0,80 pp pelos produtos de bens de consumo
duráveis e 5,39 pp, pelos bens de consumo semiduráveis e não duráveis.

No acumulado nos últimos 12 meses, a variação de preços da indústria
alcançou, em setembro, 30,59%, com as seguintes variações: bens de capital,
17,31% (1,31 pp)
20,51% (7,74 pp), sendo que a influência de bens de consumo duráveis foi de
1,02 pp e a de bens de consumo semiduráveis e não duráveis de 6,73 pp.

Gustavo Nicoletta / Agência CMA (g.nicoletta@cma.com.br)

Copyright 2021 - Grupo CMA

Widget: 15:

Receba nosso boletim