beforeContent_c1:
Widget: 37:

JUROS: Taxas em alta com pressão inflacionária

Invista agora, com o Monitor Investimentos. Clique aqui e saiba mais!


São Paulo, 7 de maio de 2021 - As taxas dos contratos de juros futuros
(DIs) abriram em alta em meio aos mais recentes sinais de pressão
inflacionária proporcionados pela leitura de abril do Indice Geral de Preços
- Disponibilidade Interna (IGP-DI).

O indicador de inflação medido pela Fundação Getúlio Vargas acelerou de
2,17% em março para 2,22% em abril na comparação mensal. No acumulado em 12
meses, o IGP-DI alcançou 33,46%. Ambos os resultados vieram acima da mediana
das estimativas coletadas pelo Termômetro CMA, de +1,63% no ano e +32,79% em 12
meses.

"De forma geral a inflação brasileira continua sendo de custos e as
commodities tendem a continuar pressionando os índices de inflação na esteira
da melhora das economias emergentes e avançadas", observa o economista-chefe
da Necton Corretora, André Perfeito. Na avaliação dele, "a única forma de
se defender desse fenômeno é a perspectiva de um real mais forte, mas ainda
mantemos um tom cauteloso com a valorização da moeda local".

Por volta das 10h10, o DI para janeiro de 2022 tinha taxa de 4,86%, de 4,80%
no ajuste anterior
6,56%
de 2027 tinha taxa de 8,71%, de 8,65%, na mesma comparação. No mercado de
câmbio, o dólar à vista operava em queda de 0,4%, cotado na faixa de R$ 5,25.

Ainda no campo dos indicadores, o economista-chefe da Ativa Investimentos,
Étore Sanchez, avalia que a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) surpreendeu
positivamente o mercado. "A queda foi muito menos intensa, de apenas -0,6% no
varejo restrito. No ampliado também houve surpresa, com contração de apenas
5,3%, ante expectativa de -11,5%", observou ele, referindo-se às
comparações entre os números das vendas no varejo na passagem de fevereiro
para março.

Ricardo Gozzi / Agência CMA

Copyright 2021 - Grupo CMA

content:
afterContent:
sidebar:
Widget: 38:
Widget: 15:

Receba nosso boletim

Widget: 104: