beforeContent_c1:
Widget: 37:

BIDEN: China e Rússia ameaçam solidariedade transatlântica (amplia)

Invista agora, com o Monitor Investimentos. Clique aqui e saiba mais!


Acrescenta informações a partir do terceiro parágrafo

São Paulo, 14 de junho de 2021 -O presidente norte-americano, Joe Biden,
disse que China e Rússia ameaçam a segurança dos membros da Organização do
Tratado do Atlântico Norte (Otan) e reafirmou o compromisso dos Estados Unidos
com a aliança em uma mudança de rumos após seu antecessor, Donald Trump,
ameaçar retirar o país do grupo.

"Rússia e China estão tentando conduzir uma ruptura em nossa
solidariedade transatlântica. Estamos vendo o aumento de atividades
cibernéticas criminosas, mas nossa aliança segue sólida e juntos podemos
promover a prosperidade", afirmou ele em coletiva de imprensa após a cúpula
da Otan em Bruxelas.

Falando de Bruxelas com um atraso de quase três horas, Biden disse que os
Estados Unidos seguem comprometidos com o artigo 5 da Otan, referindo-se à
promessa de defesa coletiva da aliança transatlântica.

"Hoje deixei claro o compromisso dos Estados Unidos com o artigo 5, que é
sólido, inabalável, um compromisso sagrado", disse. "A Otan está unida e
foi assim que enfrentou os desafios do passado e é assim que enfrentará os
desafios do futuro. Os Estados Unidos estão de volta", acrescentou.

Biden contou que no âmbito da cúpula da Otan teve a oportunidade de se
reunir com muitos líderes pessoalmente ou por telefone e classificou o dia como
de muitos progressos. Ele destacou que o principal assunto foi seu encontro com
o presidente russo, Vladimir Putin, marcado para quarta-feira.

"Estamos vendo as ameaças da Rússia à Otan e à segurança coletiva. É
por isso que me encontrei com o 'Bucharest Nine' [grupo formado por
Polônia, Romênia, Bulgária, República Tcheca, Estônia, Hungria, Letônia,
Lituânia e Eslováquia]. Falei com eles sobre meu encontro com Putin. Não
tenho interesse em um conflito com a Rússia, mas responderei às ameaças",
afirmou.

Neste sentido, o presidente norte-americano destacou a agenda conjunto da
Otan para a próxima década. "Como aliança, concordamos com uma agenda para
os desafios de hoje e para o futuro: a agenda 2030 da Otan. A última vez que a
Otan apresentou um plano foi em 2010, quando a Rússia era vista como amiga e a
China nem era citada. A China representa um desafio para a nossa segurança",
disse.

Segundo Biden, sob a agenda de 2030, os membros da Otan concordaram em
melhorar a infraestrutura, a cooperação na região Indo-Pacífico, melhorar a
segurança cibernética e conter as mudanças climáticas.

Ele também tratou da democracia e da soberania no discurso. "Não vamos
fracassar na defesa da Otan e dos valores democráticos. Como aliados,
defenderems a soberania e independência territorial da Ucrânia. Houve também
um consenso sobre o apoio ao povo afegão e garantias para que o país não se
torne mais um paraíso para os terroristas", completou.

Carolina Gama / Agência CMA

Copyright 2021 - Grupo CMA

content:
afterContent:
sidebar:
Widget: 15:

Receba nosso boletim

Widget: 104: