beforeContent_c1:
Widget: 53:
Widget: 37:
milho plantação piqsels

Safra brasileira de grãos deve renovar recorde em 2021, diz IBGE

A safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas em 2021 deve chegar a um novo recorde na produção de grãos, somando 266,9 milhões de toneladas, o que representa alta de 4,2% em relação à safra de 2020 ou 10,7 milhões de toneladas a mais, conforme dados da sexta estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para este ano.

Os aumentos recordes da produção de soja em 8,5% (somando 131,8 milhões de toneladas), apesar da queda de 0,2% prevista para a safra de milho (sendo -4,4% na primeira safra e +1,3% na segunda safra), chegando a 103,0 milhões de toneladas em relação a 2020, devem ser os principais responsáveis pelo prognóstico deste ano. O cultivo de arroz deve subir 0,2% (11,1 milhões de toneladas) ante o ano passado, enquanto a safra de algodão herbáceo deve despencar 16,9%, a 5,9 milhões de toneladas.

A área total a ser colhida deve ser de 67,7 milhões de hectares, alta de 3,5% (mais 2,3 milhões de hectares) em relação ao ano passado. O gerente da pesquisa, Carlos Barradas, explica que a colheita da soja está perto de ser concluída na maioria dos estados produtores, porém, está com atraso em relação ao ano anterior, influenciada pelo plantio tardio devido à estiagem no início da primavera.

"Com o retorno das chuvas, a partir de dezembro, as lavouras se recuperaram e a cultura se desenvolveu de maneira satisfatória. Embora o excesso de chuvas venha causando problemas em alguns estados, tanto na colheita quanto no escoamento da safra, restam poucas áreas a serem colhidas", destaca, acrescentando que a demanda aquecida e a alta do dólar têm favorecido a comercialização do grão e incentivado os produtores a aumentarem o plantio.

Na comparação com a previsão de fevereiro, houve alta de 1,7 milhão de toneladas (+0,7%). O arroz, o milho e a soja somaram 92,9% da produção e 87,9% da área colhida. Frente a 2020, houve altas de 5,1% para a área do milho (3,0% na primeira safra e 5,9% na segunda), 4,1% para a soja, mas queda de 0,1% para o arroz.

Entre as unidades da federação, Mato Grosso lidera a produção nacional de grãos, com uma participação de 27,2% na safra do país, seguido pelo Paraná (15,8%), Rio Grande do Sul (13,3%) e Goiás (9,7%). Entre as regiões, o Centro-Oeste é líder com 45,5% de participação na produção nacional de grãos, porém, a estimativa é de queda de 0,9% nesta safra. O Sul (31,4% da produção nacional), Sudeste (10,1%), Nordeste (8,8%) e o Norte (4,2%) tiveram altas nas estimativas.

O levantamento do IBGE foi realizado em colaboração com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Flávya Pereira / Agência CMA - Copyright 2021 - Grupo CMA - Imagem: Piqsels.com

content:
afterContent:
comments:
Widget: 61:
sidebar:
Widget: 24:
Widget: 39:
Widget: 38:
Widget: 15:

Receba nosso boletim

Widget: 58:
Widget: 59: