beforeContent_c1:
Widget: 53:
Widget: 37:
bolsonaro imagem destaque Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Grandes empresários refutam aproximação da classe com Bolsonaro

Em uma tentativa de reaproximar parte importante do seu eleitorado, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), promoveu um jantar com um grupo de empresários nesta quarta-feira (6). A ideia era mostrar reaproximação com a classe, mas o tiro acabou saindo pela culatra.

De acordo com o jornal Valor Econômico, grandes empresários e investidores acordaram nesta quinta-feira (8) indignados com a percepção de que o jantar foi bem sucedido e de que Bolsonaro voltou a ter o apoio da elite econômica do país. 

O que de fato aconteceu nesse jantar foi a reunião de um punhado de empresários e banqueiros que respondem ou a um critério ou a ambos: já serem do núcleo bolsonarista e/ou serem puxa-sacos de plantão do presidente.

Segundo o jornal, a tentativa do Bolsonaro de ressucitar o antipetismo para trazer de volta o apoio dos empresários que abandoram o barco não terá efeito algum, já que entre aqueles que realmente ditam os caminhos da economia nacional, esse discuro do ódio ao Partido dos Trabalhadores (PT) não trará votos para a reeleição do atual mandatário. 

Nem mesmo a carta na manga de Bolsonaro adiantou: a presença do minsitro da Economia, Paulo Guedes, nas reuniões não sensibiliza mais e tampouco surge algum efeito, já que atualmente o ex super-ministro é visto como ministro de um país que existe apenas na sua imaginação — e na imaginação de Bolsonaro. 

A reportagem do Valor Econômico afirma que os CEOs críticos ao bolsonarismo reclamam de o presidente não levar a pandemia de coronavírus a sério, atrapalhando o crescimento, e estão reclusos em suas casas, como orienta a OMS. 

*Imagem em destaque: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

content:
afterContent:
comments:
Widget: 61:
sidebar:
Widget: 24:
Widget: 39:
Widget: 38:
Widget: 15:

Receba nosso boletim

Widget: 58:
Widget: 59: