beforeContent_c1:
Widget: 37:
dólar alta inflação Pixabay

Dólar fecha em R$ 5,3340, em meio à forte alta do IPCA-15

Invista agora, com o Monitor Investimentos. Clique aqui e saiba mais!

O dólar comercial fechou em R$ 5,3340, com alta de 0,60%. A elevação foi influenciada, sobretudo, por fatores internos como a alta do IPCA-15 de 1,14% em setembro ante agosto, além dos temores políticos e fiscais que continuam no radar.

De acordo com o sócio da Euroinvest, Cristiano Fernandes, "a política de juros do Banco Central (BC) não tem sido suficiente para conter a inflação". Isso, na visão de Fernandes, pode resultar em um aumento de juros maior do que 1 ponto percentual na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

Além disso, a tensões política e fiscal continuam no radar: "Além do orçamento, estamos há pouco mais de um ano das eleições, essa polarização política soa muito ruim para o investidor", pontua Fernandes.

Segundo fonte ouvida pela CMA, "o mercado está negativamente ao IPCA-15 mais alto, impactando no dólar. Isso mostra que o Banco Central talvez precise de juros mais altos". Ela ainda diz que a inflação está espalhada e já existem previsões de que a Selic termine o ano em 9,25%.

Fatores internos como a crise hídrica, a alta da tarifa de energia e os precatórios continuam pressionando o real: "Os precatórios deram uma aliviada, mas o fiscal vai muito além disso, estamos prestes a entrar em um ano com muita pressão eleitoreira", pontua a fonte.

Para a economista e estrategista de câmbio do Banco Ourinvest, Cristiane Quartaroli, "o mercado está operando com bastante cautela". Para ela, a sinalização do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, que a retirada de estímulos está próxima, assim como a revisão a da inflação norte-americana e possível aumentos de juros, "está levando os investimentos para lá, fortalecendo o dólar".

Já o mercado doméstico continua sendo o calcanhar de Aquiles: "O cenário interno, tanto político quanto econômico, ainda é conturbado. A recuperação está bastante lenta e gradual", pondera Quartaroli.

Paulo Holland / Agência CMA
Copyright 2021 - Grupo CMA
Imagem: Pixabay

content:
afterContent:
sidebar:
Widget: 24:
Widget: 39:
Widget: 15:

Receba nosso boletim

Widget: 104: